Destaque, Notícias › 31/01/2014

Celebração marca o início das comemorações do Centenário

DSC02230Na noite desta quinta-feira, dia 30 de janeiro, a Paróquia Santo Antônio do Pari deu início ao seu Tríduo em preparação ao Centenário, que será celebrado solenemente no próximo domingo, dia 2 de fevereiro, data de criação da paróquia.

O pregador convidado para estes três dias de preparação é um antigo conhecido da paróquia, Frei Agostinho Salvador Piccolo, chamado de “prata da casa” pelo atual pároco, Frei Adriano.

O frade foi criado no bairro do Pari, foi ordenado na paróquia e trabalhou no bairro por muitos anos. Em 2007 celebrou também na paróquia suas Bodas de Prata, pelos 50 anos de sua ordenação presbiteral.

No início da celebração, Frei Agostinho foi acolhido pelo pároco, Frei Adriano, que ressaltou a importância da presença do confrade neste momento de celebração.

O dia também foi escolhido para a renovação dos votos de Ir. Juliana Rodrigues, missionária scalabriana, que trabalha junto aos migrantes no bairro.

DSC02254Em sua homilia, Frei Agostinho explicou pedagogicamente o caminho que seria seguido ao longo do Tríduo.

Em um primeiro momento, considerações históricas das comemorações realizadas pela comunidade nos anos passados, sobretudo nos aniversários de 25, 50 e 75 anos da criação da paróquia. Em um segundo momento, reflexões espirituais, motivadoras e desafiadoras sobre a vivência pessoal e comunitária, no presente e no futuro.

Para o primeiro dia, Frei Agostinho apresentou a “trilogia de destaque”: centenário, Pari e Santo Antônio.

Iniciando a trilogia com a reflexão sobre o centenário, de modo geral e de modo específico. “Alegremo-nos com o nosso Centenário da Santo Antônio do Pari, a vida de nossa paróquia, nosso espaço religioso, nossa casa cristã, jovem de 100 anos, de fé e caridade abertas a outras denominações, e acolhedora doutros irmãos e irmãs a unir.”

Falou a seguir da origem do nome Pari, um pesqueiro, lugar cercado para pescar peixes, uma armadilha de pesca. Este instrumento era usado por indígenas para pescar no Rio Tietê e o nome deu origem ao bairro.

E, para encerrar a trilogia, falou a respeito de Santo Antônio, o “padroeiro emérito” da paróquia.

DSC02205Ao final de sua homilia, Frei Agostinho leu o decreto de criação da paróquia, datado do dia 2 de fevereiro de 1914. O bispo da época, Dom Duarte Leopoldo e Silva, afirma que devido ao acréscimo de população no bairro e de sua extensão, ele estaria a partir de então desmembrando a paróquia Bom Jesus do Brás e, através do decreto, estava erigida e canonicamente instituída uma nova paróquia, que se chamaria Santo Antônio do Pari.

Ao final da missa, foi dada a benção com a relíquia de Santo Antônio.

Confira aqui mais imagens da celebração.

O tríduo continua na sexta-feira, dia 31 de janeiro, às 19h30 e no sábado, dia 1° de fevereiro, às 16h.

No domingo, dia 2 de fevereiro, haverá missa às 10h, com inauguração do novo altar e entronização das imagens de Nossa Senhora de Copacabana e Nossa Senhora de Urkupiña e a missa solene, às 18h, com a presença de Dom Tarcísio Scaramussa, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo pela Região Sé. Saiba mais sobre a celebração do Centenário.

Os comentários estão desativados.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com