Notícias › 12/12/2013

Frei Agostinho lança “São Francisco de Assis Sempre”

Confira abaixo a entrevista feita por Moacir Beggo:

freiagostinhoPaulistano, natural do Brás, e como não poderia deixar de ser, Corintiano “fanático”, o esportista Frei Agostinho Piccolo é um devoto de São Francisco de Assis, como se pode ver neste livro, que produziu com zelo e carinho: “São Francisco de Assis, Sempre”.

“Fascinado também por Francisco, e movido pelos tantos irmãos e irmãs, que a Providência me deu e com quem tenho convivido nos 60 anos de franciscano (1950-2010), com Maria entoo um Magnificat de louvor e ação de graças”, celebra Frei Agostinho, que durante 40 anos se dedicou à evangelização na educação.

Site Franciscanos – Como nasceu a motivação para escrever sobre esse tema?

Frei Agostinho Piccolo – Desde meus jovens anos, no Ensino Médio do Seminário Santo Antônio, de Agudos, eu reservava a última meia hora de estudos à noite para leitura de textos franciscanos. O livro de (Dom) Frei Hilarino Felder (Vozes), “Os Ideais de São Francisco”, me cativou e acompanhou seguidamente. Frei Tadeu Hoennighausen, Orientador Educacional (“Padre Prefeito” – como se dizia, então), também motivava os Alunos pelas conferências semanais sobre o Franciscanismo e a res franciscana. Ao longo dos Estudos Superiores, dois outros Mestres entraram (e como!) em cena: Frei Raimundo Vier (Filosofia, Curitiba) e Frei Evaristo Paulo Arns (Teologia, Petrópolis). E a história continuou. Após alguns anos de Evangelização na Educação (Colégio Santo Antônio do Pari, SP; Seminário Santo Antônio, Agudos, SP; Colégio Bom Jesus e FAE, Curitiba, PR, tive oportunidade e a graça de estudos e estágio com o franciscanólogo Pe. Dr. Kajetan Esser, no “Collegium S. Bonaventurae ad Claras Aquas”, Grottaferrata (Roma); posteriormente, pós-graduação na PUA – Pontificia Universitas Antonianum – Roma, com Dr. Frei Fernando Uribe, Orientador. A bagagem foi crescendo. Senti que devia repartir os dons. Na UNIFAE (Curitiba), na Universidade São Francisco (Bragança Paulista e demais campus), na assistência à OFS e JUFRA (Pari e São Francisco, Centro, SP), Conferências programadas e Retiros junto a Irmãs Franciscanas (Ingolstadt, CONSA, Moema, SP; da Sagrada Família, Curitiba, PR; de Nossa Senhora de Fátima – Frei Orestes, Campos do Jordão), com publicações concomitantes (“Francisco de Assis: Por uma Pedagogia Humanista”, IFAN, Edusf, p.ex.). Enfim, para concentrar e divulgar mais, nasceu, em gestação de 2 anos, o “São Francisco de Assis – Sempre …” ,  outubro de 2013,  Mês Franciscano, Ano da Fé.

Site Franciscanos – Como o livro está organizado?
Frei Agostinho – 
Frei Guido Scheidt, Presidente da AFESBJ – Associação Franciscana de Ensino Senhor Bom Jesus –, faz a Apresentação e destaca “o estudo, a pesquisa e a mística de São Francisco” (p. 7-8). O Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, em Pórtico especial, revela “São Francisco Hoje”, grande e universal, e seu condão, o seu jeito de “fascinar qualquer pessoa em qualquer época, pobre, serviçal, gratuito, fraterno” (p. 11-12). Fechando a Introdução, aponto traços da pesquisa original da Revista americana Time (31 de dezembro de 1999), na passagem do Milênio: “Quem foi a personalidade do século XX – quem se distinguiu e por quê”? “Who mattered and why?” (p. 13-14). Entre corifeus de diferentes áreas do saber – Einstein, Gandhi, Gutenberg, Shakespeare, Da Vinci – figurou Francisco de Assis, pelo carisma e estilo de santidade. A Revista frisou o porquê da votação, a mudança da face da santidade: “uma santidade humana, de fraternidade, a cortesia com os leprosos, os mais excluídos na Idade Média, a santidade na mística da Concórdia e da Paz” (p. 14).

No Corpo, as três partes centrais mostram: I.) Francisco nos fala, desde a sua prontidão: “Senhor, que quereis que eu faça?” (2Cel 6,7), e o desdobramento (p. 17-22). – II.) De São Francisco nos falam: Santa Clara de Assis, São Boaventura, Frei Tomás de Celano, Primeiros Companheiros (p. 25-31); Papas na História (de Inocêncio III a Papa Francisco, p. 32-48); Estudiosos, Seguidores e Admiradores (p. 49-69).  – III.)  Valores franciscanos perenes: O Crucifixo de São Damião, O Tau, O Natal de São Francisco, Sua espiritualidade  em hinos e orações, A Mística Franciscana da Paz, Inspirações Franciscanas para o Educador Humanista hoje, O Espírito de Assis, A Oração de São Francisco (p.73–125). No Apêndice, arrolam-se: Cronologia de São Francisco e Santa Clara  (p. 129–134) , Referências Bibliográficas: Fontes, Obras sobre temas franciscanos, Obras sobre Educação, Siglas, Ilustrações, Endereços Vocacionais (“Entre em contato direto”),  Pró-Vocações e Missões (PVF); Serviço de Animação Vocacional (SAV); Bênção de São Francisco; Assis – sempre, coração do mundo, cuore del mondo.

Site Franciscanos – O que São Francisco vem falando nos seus 60 anos de Vida Religiosa?
Frei Agostinho –
 Francisco é o homem de perfeição evangélica, homem evangélico, nas expressões de São Boaventura, dos Três Companheiros (LM  I,5,2; LTC 40,8); desponta como homem novo ou de outro mundo, conforme o primeiro biógrafo (cf. 1Cel 82,1). Para mim, o que ele vem falando, o que me encantou, o que cada vez mais me encanta nos meus 60 anos de Vida Religiosa Franciscana é o seu Idealismo. Desde jovem, ele sonhava, queria e procurava ser mais, crescer, renovar-se, consagrar-se ao Deus do Amor, e doar-se ao outro, a todos, a começar com os Irmãos mais necessitados, aos antes repelentes, depois queridos e amados leprosos. Pessoalmente, procuro cultivar um idealismo corajoso, cotidiano, realizador, no espírito da “obediência caritativa”, conforme a Admoestação III de Francisco. Ao Idealismo acrescento a Generosidade, com Cortesia. É a inspiração: “Senhor, que queres que eu faça?” De coração aberto: “Vamos começar, pois até agora pouco ou nada fizemos!” Com disponibilidade: Contem comigo! Com Cortesia, “uma das propriedades de Deus!”(Fior 37). E a Vida de Oração. “Não extinguir o espírito de oração …” , que me renova e entusiasma a ser sincero “portador da Paz”: “Aconselho, admoesto e exorto a meus Irmãos no Senhor, que, quando vão pelo mundo, sejam mansos, pacíficos, brandos e humildes …” (RB III, 11-12). “O Senhor me revelou que disséssemos: O Senhor lhe dê  a Paz!” (Test 23). 

Site Franciscanos – O que São Francisco nos fala hoje?
Frei Agostinho – 
  Sintetizo em três sentenças, que brotam do coração dele e se aplicam à Vida:
● “Eu, Frei Francisco, vosso servo menor, vos rogo e vos suplico na caridade que é Deus (1Jo 4,16), e com vontade de beijar-vos os pés, que, com humildade e caridade, recebais, coloqueis em obras e observeis as palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo. E todos aqueles e aquelas que as receberem benignamente, as entenderem e enviarem cópia aos outros e nelas perseverarem até ao fim (Mt 24,13), que os abençoe o Pai e o Filho e o Espírito Santo. Amém.” (Respeito à Palavra de Cristo. Carta aos Fiéis, 2ª. Recensão, ano 1225/26, n. 87-88).
● “Onde estão e onde quer que se encontrarem os Irmãos, mostrem-se mutuamente familiares entre si. E com confiança um manifeste ao outro a sua necessidade, porque se a mãe nutre e ama seu filho carnal, quanto mais diligentemente não deve cada um amar e nutrir a seu irmão espiritual? E se algum deles cair enfermo, os outros devem servi-lo como gostariam de ser servidos.” (Mt 7,12) (Fraternidade e Solidariedade. Regra Bulada,  VI, 8-10).
● “Altíssimo, onipotente e bom Senhor, teus são o louvor, a glória, a honra e toda bênção (Ap 4,9.11). Somente a ti, ó Altíssimo, eles convêm, e homem algum é digno de mencionar teu nome.
Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã nossa, a Mãe terra (cf. Dn 3, 74), que nos sustenta e governa, e produz diversos frutos com coloridas flores e ervas (cf.  Sl 103, 13.14).
Louvai e bendizei ao meu Senhor (cf. Dn 3,85), e rendei-lhe graças e servi-o [de coração], com grande humildade.” (Cf. Cântico do Irmão Sol. Hino às Criaturas, cuidado da Natureza, 1224/1225).

Site Franciscanos – O que Frei Agostinho nos fala de São Francisco?
Frei Agostinho –
 Na linguagem de hoje, convivendo tanto com tantos/as Jovens, diria simplesmente o que eles/elas captariam prontamente: “São Francisco é … o Cara!”. Por quê? Francisco sabia acolher. Francisco fascinava por compreender. Francisco podia sorrir e chorar junto. Era cordato, cortês, coração. Simples, humilde, serviçal. Terno, firme, causador de sustentabilidade. Homem de Oração e de Ação. Filho amado de Deus. Irmão que ama sinceramente a todos/as, a cada um/a.

Site Franciscanos – Em quem você pensou ao escrever este livro?
Frei Agostinho – 
Em  V O C Ê !!!

Fonte: Site dos Franciscanos

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com