Destaque, Notícias › 12/06/2017

Frei Anacleto lembra a “Alegria do Amor” no encerramento da Trezena

 Moacir Beggo

 São Paulo  (SP) – O dia 12 de junho, Dia dos Namorados, é também o 13° dia da Trezena em honra a Santo Antônio. E como não poderia deixar de ser, o “Protetor dos Namorados” foi o tema desta segunda-feira na Igreja Santo Antônio do Pari. Frei Anacleto Gapski, OFM, presidiu o encerramento da Trezena e, durante toda a Celebração, interagiu com os casais presentes.

Neste ano, a Trezena une a devoção a Santo Antônio e a Maria Santíssima, já que estamos celebrando o Ano Mariano. O presidente e pregador trouxe para a reflexão os ensinamentos do Papa Francisco contidos “Amoris laetitia”, a “Alegria do Amor”, fazendo uma síntese deste documento. Para Frei Anacleto é “uma joia do Papa Francisco” e deve servir de livro de cabeceira para todos os casais.

Nesta Exortação, Frei Anacleto lembrou que o Papa aborda o tema a partir do Evangelho e depois fala da realidade e dos desafios das famílias. “Hoje é mais fácil trair uma esposa com um notebook do que a vivo e a cores”, lembrou.

Ele citou os temas “o olhar fixo em Jesus: a vocação da família”, “o amor no matrimônio” e “o amor fecundo”. Lembrou que uma relação verdadeira precisa de amadurecimento, uma realidade desafiadora no nosso mundo de hoje. “Uma vez celebrei uma bodas de ouro de um casal português e perguntei ao marido, sr. Luís, se ele amava tanto a sua esposa, Dona Maria, como a amava há 50 anos. Ele me respondeu: ‘O sr. está louco, padre!’. Respondi: ‘Não, sr. Luís, só fiz uma pergunta’. Eu ajudei a levar o sr. Luís para o hospital, enterrei ele e Dona Maria, mas não me esqueço da frase que me disse: ‘Se eu amasse a Maria tão pouco, quanto eu amava há 50 anos, nós não estaríamos aqui. Hoje, posso dizer para o sr. que eu a amo no mínimo 50 vezes mais”. Nunca me esqueci deste dia e desta lição que deixou o sr. Luís.

Frei Anacleto ainda lembrou que uma das preocupações do Papa Francisco é com a formação das famílias, como aborda nos subtemas: “Reforçar a educação dos filhos”, “Acompanhar, discernir e integrar a fragilidade”, “Espiritualidade conjugal e familiar”.

No final da celebração, Frei Anacleto chamou todos os casais para receberem a bênção de Santo Antônio, especialmente o casal Regina e Haroldo, completando 41 anos de casamento, e Adílson e Januir, completando 52 anos.

Da esq. para dir.: Ricardo Souza, Alexandre Gonçalves, Laércio Morais e Lourdes Sisconeto preparam a imagem de Santo Antônio. 

TUDO PRONTO

Nesta terça, na festa do Padroeiro, a primeira Missa acontece às 6 horas da manhã. Para esta 103ª edição da festa, foram preparadas 100 tábuas de bolo, com mais de 1 metro de comprimento cada. O tradicional bolo de Santo Antônio é uma das grandes atrações da festa do Pari, junto ao pão bento, que é distribuído gratuitamente aos fiéis. “A distribuição dos pães só é possível porque muitos devotos fazem sua doação à Paróquia, promovendo um verdadeiro milagre da multiplicação”, explica o pároco Frei Germano Guesser. Frei Germano também exalta o trabalho dos voluntários. “Os voluntários na Igreja, e aqui não é diferente, são pessoas de todas as faixas etárias que se dedicam amorosa e gratuitamente a este serviço de partilhar seus dons e fazer o melhor para que esta Ação de Graças chegue a Deus. Todas essas pessoas têm famílias, trabalhos e compromissos, mas conseguem um tempo para se colocarem na disponibilidade de servir, no exercício de lavar os pés”, explica o pároco, enfatizando seu agradecimento a todos.

O pároco Frei Germano ajuda a preparar a imagem de Nossa Senhora Aparecida

Os bolos são preparados por um grupo de fiéis voluntárias, entre elas a veterana na coordenação da confeitaria, Wanda de Freitas Lavia, que distribui trabalhos pela cozinha, corredores e salas do Convento. “Faço isso há mais de 30 anos. E faço com amor, porque nesta Paróquia eu nasci, cresci e me casei”, decreta dona Wanda, que tem quatro filhos – dois homens e duas mulheres – e é Ministra da Eucaristia.

Foi também por causa de uma graça alcançada que Wanda não mede esforços durante a preparação da festa. Sua filha, Taís, engoliu um apito de brinquedo que foi parar no pulmão. Desenganada pelos médicos, Wanda rezou e pediu uma graça para Santo Antônio. No dia 12 de junho, véspera do Padroeiro, ele foi tomar um café se engasgou, colocando para fora o apito. Desde então, Wanda e a filha reservam um tempo para retribuir ao santo esta graça alcançada.

13/06 – DIA DE SANTO ANTÔNIO

Nesta terça-feira, dia 13 de junho, a Igreja celebra Santo Antônio.

Em nossa Paróquia, os festejos começam cedo, às 6 horas da manhã, com a celebração da 1ª missa.

As missas acontecem a cada hora e meia, às 6h00, 7h30, 9h00, 10h30, 12h00, 13h30, 15h00, 16h30 e 18h00.

Missa solene das 19h30, seguida de procissão pelas ruas do bairro, encerra a parte religiosa da festa.

Durante todo dia haverá bênção do pão e dos fiéis, dentro e fora da igreja.

Festa externa acontece a partir das 6 horas, com distribuição do pão bento, venda do lírio e tradicional bolo de Santo Antônio, além das barracas de comidas típicas e bingo.

 

Nosso endereço:

Praça Padre Bento, 13 – Pari

São Paulo, SP, CEP 03031-050

 

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com