Histórico

DSC00077Fundada aos 2 de fevereiro de 1914 por Dom Duarte Leopoldo e Silva, a Paróquia Santo Antônio do Pari teve como seu primeiro pároco Frei José Rolim que, vindo de Portugal por causa da guerra. Ele ficou à frente da paróquia até 27 de agosto de 1916, quando foi sucedido por Frei Felipe Niggemeier. Conta a história que “na carência de igreja ou capela apropriada, Frei José Rolim alugou uma sala de um sobrado, que hoje faz esquina da rua Miller com a rua Maria Marcolina.”

Arthur Vautier, proprietário de vastos terrenos no bairro, vendo o dinamismo do frade português, doou um terreno para a construção de uma igreja. Em agosto de 1922, tendo como vigário e superior do Pari Frei Olivério Kraemer, teve início a construção da “bela e vasta” matriz, que foi entregue ao culto divino em 13 de junho de 1924. A nova Igreja Matriz mede 60 metros de comprimento, 28 metros de largura e 15 metros de altura.

Em 24 de agosto de 1923, sucedeu a Frei Olivério, Frei Paulo Luig, que se tornou a coluna do Pari. Governou a paróquia durante 15 anos, com entusiasmo extraordinário. Continuou a construção da Igreja, já adiantada e coberta, adornando a com 15 altares, 6 confessionários, forro, batistério, bancos e 2 imponentes torres de 52 metros de altura e de 8 metros de largura.

Os altares, todos em legitimo mármore, foram construídos e solenemente inaugurados entre os anos de 1925 e 1929. O Púlpito, todo em legitimo mármore de cores e incrustações de alto relevo de madeira, imitando bronze, foi inaugurado em 30 de novembro de 1930.

A sagração dos sinos realizou se a 22 de janeiro de 1928 por Dom José Carlos Aguirre e a inauguração da Via Sacra aconteceu em 6 de março de 1927.

E assim a Igreja Matriz foi sendo construída com a colaboração, trabalho e dedicação de muitos frades que por aqui passaram e principalmente com a ajuda e colaboração de todo povo do bairro e até mesmo devotos de longe.

No dia 13 de junho de 2006, um incêndio que começou pelo velário acabou destruindo toda a lateral direita da Igreja e a torre onde ficava o mecanismo dos relógios e os sinos. A partir de então, começou-se uma grande mobilização para restaurar a igreja.

No dia 10 de dezembro de 2007, aconteceu a dedicação da igreja, com a inauguração do novo altar. De 2006 a 2009 foram realizados os trabalhos internos: todo o telhado na parte direita foi refeito, os bancos foram reformados, novos pisos foram colocados. Imagens e altares laterais foram restaurados, as vias-sacras foram reconstituídas, idênticas as originais. Foi construído também um novo velário, no lado externo da igreja, e o órgão, um dos maiores da cidade de São Paulo, também passou pelo início de um processo de restauro. Nesta etapa, além da grande reforma das torres, todo o telhado da igreja foi trocado e a parte externa ganhou uma nova pintura.

Em 2014, ano em que a paróquia celebra seu centenário, foi inaugurado um novo altar para Nossa Senhora de Copacabana e Nossa Senhora de Urkupiña, padoeiras da Bolívia. Até o final de 2014, serão refundidos e recolocados os sinos, que foram danificados no incêndio de 2006.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com