Destaque, Notícias › 01/06/2018

Missa de Corpus Christi marca início da Trezena de Santo Antônio

Comunidade

São Paulo (SP) – Nessa quinta-feira, 31 de maio, solenidade do Santíssimo Corpo de Sangue de Nosso Senhor, teve início a Trezena em preparação para a festa de Santo Antônio também em nossa paróquia Santo Antônio do Pari, em São Paulo, SP. A comunidade se mobilizou, e, de forma singela mas muito bela produziu os tapetes que enfeitaram o corredor central da Igreja, também em sintonia com o sínodo arquidiocesano que estamos celebrando. Presidida pelo pároco, Frei Germano, a missa foi concelebrada por Frei José Francisco, Frei Gustavo Medella e Frei Clauzemir.

Convidado a animar as pregações da trezena, Frei Clauzemir, ressaltou na sua homilia o valor da Eucaristia como alimento de quem quer caminhar em uma vida de santidade.  É uma grande alegria iniciar a trezena de Santo Antônio em uma data em que a fé assume manifestar-se na beleza. Belas não são apenas a liturgia, os cantos e as orações, mas os tapetes representam a concretude de uma devoção tão popular quanto significativa ao povo. E essa devoção, essa fé tão popular em seu modo de ser, é muito próxima da fé na intercessão de Santo Antônio, tão rogado em situações bem concretas, desde o achar algo perdido, ou o pedido ao santo casamenteiro, até seu apelo como santo do pão dos pobres. Entretanto, os santos não devem ser encarados única nem primeiramente como intercessores. Não é isso que os faz santos.  Antes de tudo, eles para nós são modelo, são sinais de que é possível aproximar nossa vida do sonho de Deus. Esse apelo a santidade, dirigido a todos e a cada um de nós, não tem nada a ver com “fazer mágica” ou ter grandes sinais em sua vida. Santidade tem muito mais a ver com perseverança, tem a ver com o desafio de se manter honesto quando ninguém está olhando nem vai ficar sabendo, tem a ver com o sentido de procurarmos sermos bons, caridosos, mesmo quando nada receberemos em troca, nem mesmo reconhecimento ou gratidão. Santidade tem a ver com perseverar mesmo com os desafios de nossa rotina, nosso trabalho, nossa vida quotidiana. Nesse desafio, não damos conta sozinhos, por isso Deus é nosso auxílio e nossa força. E é para esse caminhar, que a Eucaristia é alimento especial. “A Eucaristia não é prêmio para os perfeitos, mas remédio generoso e um alimento para os fracos” (Evangelii Gaudium 47). Aqueles que querem perseverar em seu caminho, buscando a santidade na vida quotidiana, assumindo suas atividades com empenho, lutando para construir um mundo melhor, encontram nessa doação máxima de nosso Deus, alimento e força para continuar. Olhemos para a Eucaristia com devoção, com fé e também com fome, com vontade e necessidade dessa força para bem caminharmos. Olhemos para a Eucaristia com respeito, com adoração, mas não com medo, pois nosso Deus antes de juiz, é Pai amoroso, acolhe antes de qualquer coisa aqueles que a Ele recorrem com o coração enternecido de quem muito nos ama.

Após a Comunhão e antes da procissão e bênção com o Santíssimo, fez-se a oração do Responsório de Santo Antônio, a fim de marcar também os pedidos de cada um para essa Trezena que se iniciava. Aos pés de nosso Deus, exposto humildemente à nossa adoração, apresentamos nossas intenções sob a intercessão e exemplo de Santo Antônio!

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com