Notícias › 29/05/2014

Papa encontrou familiares das vítimas da Operação Condor e sobrinha de Dom Oscar Romero

1_0_803243Entre os numerosos fiéis presentes na Praça São Pedro na Audiência Geral desta quarta-feira, dia 28 de maio, estavam familiares de desaparecidos e vítimas da ‘Operação Condor’, plano do ex-ditador chileno Augusto Pinochet para reprimir a oposição política na América do Sul nas décadas de 1970 e 1980. Sentados na primeira fila, eles encontraram o Papa Francisco após a catequese, entre o adro de São Pedro e a Praça. O L’Osservatore Romano trouxe detalhes deste encontro.

“A violência não terá nunca a última palavra”, disseram ao Papa a sobrinha de Dom Romero, alguns familiares de desaparecidos e ex-prisioneiros políticos latino-americanos e animadores do Centro de acolhida ‘Padre Nostro’, fundado em Palermo, pelo Beato Giuseppe Puglisi. O Papa Francisco acolheu com afeto Cecília Romero, sobrinha do Arcebispo de San Salvador, assassinado em 24 de março de 1980 enquanto celebrava a Eucaristia. “Os santos estão sempre conosco e ajudam a viver a fé a cada dia”, afirmou a salvadorenha ao jornal vaticano, expressando a seguir “a esperança de ver em breve a beatificação de meu tio”. Junto a ela, o marido e a religiosa das Pequenas Irmãs de Jesus, Genevieve Jeanningros, sobrinha da missionária francesa Leoni Duquet, desaparecida durante a ditadura militar na Argentina.

Eram provenientes da Argentina, Chile, Uruguai e El Salvador as outras pessoas que conheceram a prisão e a tortura e que pedem para saber a verdade sobre a sorte de seus familiares. Ao Pontífice este grupo, unido às dramáticas experiências pessoais, quis expressar antes de tudo “gratidão pela acolhida e atenção”.

romeroApós o encontro com o Santo Padre, todos participaram de uma coletiva de imprensa. Na ocasião, Cecília Romero, declarou que o Papa lhe assegurou que o processo de beatificação de Dom Romero “está andando e com paciência chegará a seu termo”. Jeremias Levinao, companheiro de Omar Venturelli, torturado em Temuco, Chile, e representante do povo Mapuche, um dos mais reprimidos pelo regime de Pinochet, pediu ao Papa que “fizesse algo por seu povo, que necessita justiça”.

Alguns dos participantes do encontro com o Papa Francisco fazem parte do ‘Processo Condor’, que julga na Itália o desaparecimento e morte de 23 cidadãos latino-americanos de origem italiana durante a operação de repressão, perseguição e assassinatos de ativistas contrários às ditaduras. Neste processo, que se encontra atualmente em fase de audiência preliminar, estão imputados 17 uruguaios, 12 chilenos, dois bolivianos e quatro peruanos, todos membros das Juntas Militares e serviços de segurança de seus respectivos países entre os anos de 1973 e 1983. (JE)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com