Notícias › 16/06/2016

População de rua será acolhida até final do inverno

Sefras_pernoite-74

Érika Augusto

São Paulo (SP) – “Vejo a Igreja como um hospital de campanha”, esta afirmação do Papa Francisco nunca fez tanto sentido. Em São Paulo, no Largo São Francisco, desde a noite da última segunda-feira, o salão que acolhe durante o dia o Chá do Padre, passou a abrigar dezenas de pessoas em situação de rua para pernoite. Eles chegam por volta das 19 horas, recebem um kit com materiais de higiene pessoal e toalha, tomam banho, ganham uma roupa limpa, jantam e recebem uma cama quente e um cobertor para passarem a noite. Nas duas primeiras noites mais de 50 pessoas foram acolhidas. Para a noite desta quarta-feira, dia 16, a capacidade aumentou para 100 pessoas.

Sefras_pernoite-39A batalha, nesse caso, é contra o frio que chegou forte a São Paulo antes da chegada oficial do inverno. A população de rua, contudo, continuará sendo acolhida até o final da estação, garante Frei José Francisco de Cássia dos Santos, coordenador do Serviço Franciscano de Solidariedade – Sefras.

Segundo o frade, desde a primeira morte de um morador de rua, ocorrida no fim da semana passada, nasceu o desejo de fazer algo para atender esta demanda. O frade conta que após uma ligação ao Padre Júlio Lancellotti, Vigário Episcopal para o Povo de rua na Arquidiocese de São Paulo, havia o desejo de acolher os moradores no salão e conversou com alguns funcionários do Sefras, mas não havia nada concreto.

Na segunda-feira, dia de Santo Antônio, em meio às inúmeras celebrações, Frei José Francisco recebeu a ligação de Luciana Temer, Secretária de Assistência e Desenvolvimento Social da Prefeitura de São Paulo, que propôs uma parceira entre a Prefeitura e o Sefras. A partir daí a ideia passou a se tornar realidade. Camas de campanha e colchões foram entregues no Chá do Padre, que fica localizado na Rua Riachuelo, 268. O salão, que serve 300 almoços durante o dia, além de atender os moradores em diversas atividades, passou a acolhê-los também para pernoite.

Frei Diego Atalino de Melo, coordenador do Serviço de Animação Vocacional – SAV, publicou uma foto do espaço no Facebook, com o intuito de divulgar o serviço que passaria a ser prestado. A postagem viralizou, atingindo em 4 dias mais de 123 mil compartilhamentos. A partir de então os meios de comunicação passaram a divulgar, e muitas pessoas se sensibilizaram com a causa. As doações não pararam de chegar, além de inúmeras pessoas se oferecendo para ajudar como voluntários.

Foi o caso de Leidiane e Antônio. Os jovens viram pelo Facebook e entraram em contato. “Foi uma experiência maravilhosa, enriquecedora, a gente passa a conhecer a história destes moradores que são tão ignorados pela sociedade”, partilha a jovem, que está há 2 dias como voluntária na acolhida. Maria Aparecida de Brito, que participa da Ordem Franciscana Secular na Igreja São Francisco das Chagas, conta que ao ver a postagem no Facebook logo se prontificou a ajudar. Cerca de 25 pessoas, entre frades, paroquianos do Largo São Francisco, amigos e jovens vocacionados, estavam ajudando na acolhida na noite desta quarta-feira.

Muitos também compareceram ao local sem nenhum contato prévio, souberam pela mídia e se apresentaram para ajudar. Os voluntários se revezaram na recepção, cozinha, corte de cabelo e separação de doações. Alguns jovens e os frades ficaram durante toda a madrugada no espaço, de prontidão no caso de alguma necessidade.

Na noite de ontem o governador Geraldo Alckmin esteve presente no local, acompanhado da Defesa Civil. Ele conversou com os frades e com os acolhidos. O governador postou em sua conta do Twitter algumas fotos da visita.

O Sefras conta com diversos trabalhos além do Chá do Padre, mas diante da demanda emergencial, muitos funcionários deixaram suas atividades para ajudar no local. Rosangela Pezoti, Coordenadora do Setor de Articulação do Sefras, conta que foi um grande desafio organizar a pernoite em um curto espaço de tempo. “O Sefras tem uma característica de grandes desafios e atender as demandas urgentes”, afirma. Ela conta que um caso semelhante aconteceu com os imigrantes, no Centro de Referência e Casa de Acolhida aos Imigrantes, que fica na Bela Vista, onde foi realizada a pernoite temporária de algumas pessoas.

Frei José Francisco afirma que o serviço permanecerá ativo durante todo o inverno, mas que o Sefras não tem intenção de manter a acolhida, uma vez que o salão passou por uma reforma recente e readequação do espaço para atender o Chá do Padre, que é um trabalho diferenciado, chegando a atender 1200 pessoas por dia com formação, debates, atendimento jurídico e psicológico, entre outros serviços.

As doações estão sendo recolhidas em 4 pontos, as 3 paróquias franciscanas localizadas em São Paulo e no próprio Chá do Padre. Roupas e calçados masculinos, cuecas, cobertores e itens de higiene pessoal (desodorante, aparelho de barbear, sabonete, shampoo, pasta de dente) são a maior urgência no momento, além de mantimentos para o jantar e café da manhã (especialmente farinha de trigo e leite) que são servidos aos moradores.

Convento São Francisco
Largo São Francisco, 133, Sé, São Paulo (SP)
(11) 3291-2400
De segunda a sábado das 7h às 18h
Domingo das 7h às 13h

Chá do Padre (para doação e voluntários)
Rua Riachuelo, 238, Sé, São Paulo (SP)
Diariamente das 8h às 20h

Paróquia São Francisco – Vila Clementino
Rua Borges Lagoa, 1209, Vila Clementino, São Paulo (SP)
(11) 5576-7960
De segunda das 8h às 19h
De terça a sexta das 8h às 20h
Aos sábados das 8h às 18h

Paróquia Santo Antônio do Pari
Praça Padre Bento, s/n, Pari, São Paulo (SP)
(11) 3459-1434
De segunda a sexta das 8h às 12h30 e das 13h30 às 17h20
Aos sábados das 8h ao meio-dia

Os que desejam ser voluntários podem se apresentar pessoalmente no Chá do Padre durante a noite, ou entrar em contato por e-mail: comunicação.sefras@franciscanos.org.br

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com