Destaque, Notícias › 14/06/2019

Santo Antônio: exemplo de santidade

Érika Augusto

São Paulo (SP) – Há 105 anos, o dia 13 de junho amanhece diferente no Pari, região central de São Paulo. Apesar das inúmeras mudanças no bairro, que atualmente é quase que estritamente comercial, uma coisa não mudou: a fé do povo em seu padroeiro.

Ao longo de todo o dia foram celebradas 10 Missas, com grande participação de fiéis. O tradicional bolo de Santo Antônio acabou cedo. As 80 tábuas preparadas pelas voluntárias nos últimos dias acabaram por volta das 18 horas. Durante todo o dia, os frades se revezavam na fila de bênçãos. A fila para pegar o pão atravessava toda Praça Padre Bento.

Às 19h30, a Missa Solene encerrou com chave de ouro o dia de Santo Antônio, padroeiro do Pari. Dom Eduardo Vieira, bispo auxiliar da Região Sé, presidiu a celebração. Concelebraram Frei Wilson Simão, pároco; Frei José Francisco de Cássia, guardião; Frei Marx Rodrigues dos Reis, vigário paroquial e Frei Jêa Paulo Andrade, mestre do Postulantado, em Guaratinguetá (SP). Frei Vitor da Silva Amâncio e Frei Aloísio dos Santos também estavam presentes.

Sempre muito próximo do povo e dos frades, Dom Eduardo afirmou em sua homilia que Santo Antônio era o santo da simplicidade e do amor aos pobres. “Se hoje viemos aqui, atraídos por Santo Antônio, é porque também amamos os pobres”, afirmou. Segundo o bispo, esta proximidade com os mais necessitados nasce da estreita relação com a Palavra de Deus, vivida de forma intensa pelo santo. “É da Palavra de Deus que nasceu este amor pela Igreja, pelos pobres e pela Eucaristia”, acrescentou.

Para Dom Eduardo, o exemplo de vida de Santo Antônio deve inspirar os devotos a buscar a santidade e a ter proximidade com o Evangelho. “Assim como Santo Antônio distribuía o pão aos pobres, ele distribuía também a Palavra de Deus. Nós também estamos comprometidos a levar a Palavra às pessoas que passam fome, fome da Palavra de Deus. Que nunca nos falte uma palavra de esperança para dizer às pessoas”, pediu Dom Eduardo.

Após a celebração, as centenas de fiéis que participaram da celebração saíram em procissão pelas ruas do bairro. Acompanhando a procissão, Dom Eduardo e os frades distribuíam bênçãos aos devotos que, de suas casas e comércios, acompanhavam o cortejo. A imagem foi recebida na igreja com uma grandiosa queima de fogos.

Órgão volta a ser ouvido no Pari

Uma surpresa muito especial marcou a última Missa celebrada neste dia 13 no Pari. O antigo órgão, que passa por um processo de restauro desde o incêndio, ocorrido há 13 anos, voltou a ser ouvido. Graças ao esforço dos voluntários e do professor Nilton, foi possível trazer de volta, mesmo que por algumas horas, o belo som produzido pelo antigo instrumento. O órgão, importado da Alemanha, é um dos poucos exemplares ainda em funcionamento no país.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com